23 de novembro de 2010

Carta da REJU na 4ª Jornada Ecumênica





PALAVRAS DAS JUVENTUDES ECUMÊNICAS (19/11/2010)
REJU

“E vossos jovens terão visões”
(Joel 2.28)

As Juventudes participantes da 4ª Jornada Ecumênica, reunidas em Itaici (São Paulo), representadas por meio de diversos movimentos, espaços eclesiais, redes e instituições não-governamentais - mobilizadas pela Rede Ecumênica da Juventude (REJU) – saúdam as(os) coordenadores desta 4ª Jornada. Especialmente, festejamos a intensa presença das(os) jovens em diversos espaços de discussão, debate, partilha e liderança. Com esta novidade, irmãs e irmãos, apesar do conservadorismo de algumas comunidades de fé, sinal de um retrocesso, e das crises de organismos ecumênicos, nós confiamos que a trajetória deste movimento – que celebra cem anos da Conferência de Edimburgo - continua em construção e fortalecimento!
Somos pro-vocadas(os), com o pensamento crítico e a ousadia próprias das juventudes, a continuar afirmando a utopia de uma casa habitável para todas as pessoas. Assumimos que a justiça permanece no coração de nossa fé e a diversidade de espiritualidades é o vento que nos movimenta em seus (a)braços. As nossas marcas, os nossos rostos, nossas vozes e lutas evidenciam que a prática ecumênica de nossas juventudes acontece na pluralidade de nossos corpos, de nossos encontros e de nossa fé. Nossa realidade exige críticas e práticas contrárias às relações econômicas excludentes, que sacrificam nos altares do consumo os corpos empobrecidos e vitimizam as juventudes. Diante deste contexto, propomo-nos a trabalhar em prol de uma economia solidária, participativa e justa, na defesa da criação e da dignidade humana. Enfatizaremos e nos organizaremos para a maior inserção das juventudes em conselhos compostos pela sociedade civil e instâncias governamentais, para promover e monitorar políticas públicas em favor da justiça em nosso País. Sonhamos com a integração de nossa “Afro-ameríndia”, sinalizada nesta Jornada Ecumênica com jovens de diversos países. Esperamos que as articulações entre o nosso povo, nossa gente, se fortaleçam e se ampliem.
As juventudes aqui presentes – facilitadas pela REJU em suas mais diversas regiões – abraçam os compromissos da 4ª Jornada Ecumênica e oferecem outros quatro compromissos de atuação nacional para 2011, o ano internacional da Juventude:
1. Realizar, em organizações pertencentes à REJU, uma campanha contra o extermínio das juventudes, tendo como agentes do processo as(os) jovens pertencentes à rede ecumênica;
2. Promover uma campanha, com produção de textos e vídeos criados pelas(os) jovens, em combate à intolerância religiosa, sendo realizada em comunidades de fé e em institutos educacionais;
3. Acompanhar e fiscalizar - nos conselhos e fóruns juvenis, especialmente no CONJUVE - as políticas públicas para as juventudes realizadas pelo Governo Federal.
4. Articular conferências livres de juventudes em comunidades de fé, movimentos e organizações sociais e organismos ecumênicos, buscando a participação das(os) jovens ecumênicas(os) na 2ª Conferência Nacional de Juventude.
Por fim, afirmamos a esperança de um novo tempo para todas as pessoas e para toda a terra habitável em dignidade e justiça, a partir do texto de Joel 2. 28-29: “Eu derramarei o meu Espírito sobre toda carne: e os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão; os vossos velhos sonharão; e os vossos jovens terão visões...”
Amém, Axé, Ta upeicha.
Itaici, São Paulo, 15 de novembro de 2010.

9 de novembro de 2010

CURSO DE AGENTES CULTURAIS JOVENS RURAIS DA BACIA LEITEIRA

Nos dia 29 e 30 de outubro de 2010, foi realizado o primeiro módulo do curso de agentes culturais jovens no território da Bacia Leiteira Alagoana.

O recurso financeiro para o curso foi adquirido através de um projeto da câmara temática de juventude do território da Bacia Leiteira de Alagoas.

Participaram do curso 46 jovens dos municípios de Pão de Açúcar, Palestina, Olho D’Água das Flores, Monteirópolis e Jacaré dos Homens, homens e mulheres com faixa etária de 15 a 30 anos de idade. No curso conversamos sobre identidade dos jovens no contexto de territorialidade no primeiro dia e construímos a partir da conversa um painel com perfil das juventudes de cada município, além de identificar também as organizações de juventudes existente no nosso território.

No segundo dia discutimos sobre temáticas transversais com as seguintes oficinas: Cultura, Políticas Públicas para a Juventude – PPJ, Etnia e Geração, Gênero e Esporte e lazer. As oficinas foram facilitadas pelos jovens Voluntários do NUDEC e jovens do STTR de Pão de Açúcar e da FETAG /AL.

Os jovens do curso selecionaram 10 integrantes para participar do comitê de Juventude do Colegiado Territorial da Bacia Leiteira Alagoana.

Com encaminhamentos ficou o prazer de casa “atividades Inter-módulo”, um questionário para ser feito um diagnóstico pelos jovens em suas comunidades.

Em seguida avaliamos e encerramos o primeiro módulo, às 16:20h.


video

JUVENTUDES NO COMITÊ SOCIALIZANDO O SABER

Os jovens de alagoas

Da bacia leiteira em especial

Encontram-se dialogando

Sobre o colegiado territorial

Para juntos rearticularem

O comitê da juventude setorial

Com iniciativa do NUDEC

Entidade responsável

que ajuda a juventude

Descobrir e assumir

sua verdadeira identidade

ajudando muitos jovens, do campo e da cidade

o sindicato de Pão de Açúcar

também de grande expressão

ajudou o NUDEC

nessa importante missão

para juntos atingir

o objetivo desta ação

Temos Também KOINONIA

que não cansa de nos ajudar

promovendo ou apoioando

a formação popular

não podemos esquecer do grande MDA

que nos últimos 8 anos não parou de nos ajudar

espero que e analisemos e votemos

na melhor proposta que há

pois assim continuaremos

a democracia popular

articulando todo o povo

nos colegiados territoriais

dando oportunidade a mulheres

e a juventude cada vez mais

para assim usufruir

dos benefícios estatais

esse é mais um encontro

para formar lideranças juvenil

pois apostamos na formação

como instrumento de libertação

para as juventudes desta nação

para juntos afirmarmos

nossos direitos de cidadão

por isso é muito importante

a troca de informação

para criarmos estratégia

inserção e participação

no comitê de juventude

do colegiado territorial

e trazermos projetos

para o bem comum social

contamos também com a participação

de duas figuras especiais

elas são do médio sertão

território nosso vizinho

mas isso diferença não faz

pois somos todos jovens

em busca de cidadania e paz

as discussões foram boas

a juventude aprendeu

gostou e se fortaleceu

agora é só participar

para juntos construir

um Brasil mais popular

por isso juventudes

da bacia leiteira e do médio sertão

não vamos parar por aqui

vamos promover militância

e mostrar para o Brasil

que os jovens têm importância

para finalizar

trago uma ótima idéia

de participarmos dos territórios

lutando por nossos ideais

e mostrando que com coletividade

a democracia se faz.

Impoeiras, Pão de Açúcar – AL, 30 de outubro de 2010

Oscar Alan Gomes dos Santos

6 de novembro de 2010

Lançamento do Livro Fotográfico "O Rio São Francisco e as Águas no Sertão"

O fotógrafo João Zinclar lançará no próximo dia 12 de novembro, no Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas, em São Paulo, o livro fotográfico "O Rio São Francisco e as Águas no Sertão. No ato do lançamento haverá o debate "Água: Direito ou Mercadoria", com a presença de Vicente Andreu, diretor-presidente da ANA e Roberto Malvezzi, da CPT. O evento terá início às 19 horas.

notícia do site da CP nacional.

Faltam cinco dias para o início da 4ª Jornada Ecumênica

Sobre a enquete

A primeira enquete do Blog teve participação pequena. Apena 11 pessoas respondentes. O tema foi o "toque de recolher" ou "acolher". O conjunto estava muito dividido entre a aprovação e reprovação da medida. Isso indica necessidade de maior debate sobre a mesma, ao menos para estas onze criaturas que cravaram uma alternativa.

Nazaré voltou da terra do frio, chegou da Noruega

Nazaré, nossa educadora popular jovem, que trabalhou em formação com os agentes culturais, retornou da Noruega. Lembram, ela foi lá pelo fato de termos um projeto que se inicia em 2011 e seguirá até 2015 para a afirmação dos direitos da juventude, direito à cidade e promoção de ações para a mitigação e reparação dos efeitos das mudanças climáticas. O projeto é para ser desenvolvido articulando Salvador, Paulo Afonso e Delmiro Gouveia, mais os seus entornos. Nazaré chegou dia 29 de outubro e no dia 31 votou na Dilma...


O que você achou da ida à Noruega?


Lá foi muito bom. A última palestra foi para duas turmas de 400 jovens. Teve gente que saiu muito comovida, até chorou. Todo mundo dizia que valia muito apoiar um projeto como este nosso.


O que você fez no Dia de Trabalho (OD em norueguês é abreviação de dia de trabalho)?


O grupo que estava saiu cantando pelas praças de Oslo. O pessoal contribuía com a gente. Chovia muito e fazia um frio danado. No meio da chuva quase nem sentia mais minha mão, estava congelando... Foi muito bom, até com este frio.


Que avaliação você tira da experiência?


A avaliação que fizemos lá teve um ponto pesado: eles chamaram gente que não era do Brasil para falar do Brasil, e a gente lá... Também teve pouca participação para conhecer os nossos projetos... Porém, o conjunto das coisas foi muito bom.